Operação Paiol: dois militares das Forças Armadas são presos por tráfico de armas no DF

Na residência do PM aposentado Décio Gonçalves, em Vicente Pires, os agentes da 23ª Delegacia de Polícia encontraram 10 mil munições

Brasília (DF) – A Polícia Civil do DF deflagrou, nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (12/4), a segunda fase da Operação Paiol, que volta a mira para uma quadrilha especializada na venda de armas de fogo para criminosos do Distrito Federal. Seis mandados de prisão e 10 de busca e apreensão são cumpridos no DF em três cidades de Goiás, além de 11 conduções coercitivas.
Foram presos o subtenente da reserva da PM Décio Gonçalves e os militares da Aeronáutica Thiago Ângelo, e do Exército, Pedro Henrique Santana. O trio é acusado de intermediar a venda das armas para bandidos. A comercialização do armamento era feita por meio de WhatsApp e no boca a boca com os criminosos.
 
Primeira fase
Em 7 de março, cerca de 200 policiais civis cumpriram 32 mandados de prisão, busca e apreensão, além de conduções coercitivas. De acordo com as diligências, os armamentos eram distribuídos para homicidas, assaltantes e integrantes de organizações criminosas da cidade.
O principal alvo da operação foi o ex-militar do Exército Brasileiro e ex-policial militar de Goiás Pedro Henrique Freire de Santana, que foi alvo de novo mandado nesta quinta. A suspeita é de que ele conseguia armas e munição das duas instituições com colegas de farda, até hoje em serviço, e as revendia ou alugava para bandidos.
O esquema era alimentado por cerca de 30 pessoas e cada munição, dependendo do calibre, chegava a ser vendida por R$ 10. As investigações começaram há quatro meses, após um assalto com reféns em uma casa de Ceilândia. Na ocasião, a polícia identificou que armas de uso exclusivo do Exército foram utilizadas.
Com informações do site Metrópole

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*