PF deflagra operação “Fogo Amigo” contra militares temporários de batalhão do Exército

PF deflagra operação “Fogo Amigo” contra militares do 2° BEC Mais de 10 homens estão sendo investigados por fraudar documentação para comprar armas como se fossem civis.

THAIS SOUZA
DE TERESINA

Equipes da Polícia Federal no Piauí estão desde as primeiras horas da manhã desta terça-feira (27) cumprindo mandados de busca e apreensão em 11 residências de militares do 2º Batalhão de Engenharia de Construção (2º BEC), localizado no Centro de Teresina.

A operação, denominada “Fogo Amigo”, tem como objetivo apreender armas de fogo adquiridas fraudulentamente mediante do uso de documentos falsos. Até o momento, ninguém foi preso. O comando do 2° BEC prestou todas as informações necessárias e colabora com as investigações.
De acordo com informações repassadas pela Polícia Federal, 11 militares temporários são suspeitos de participarem de ações fraudulentas, que consistia na instrução de processos de autorização para compra de arma de fogo, mediante o uso de documentos falsos como civis e a omissão de condição militar, cuja autorização para aquisição somente poderia ser expedida pela respectiva corporação militar.
Confira a nota da Polícia Federal na íntegra
A Superintendência Regional da Polícia Federal no Piauí comunica que na manhã de hoje (27/02) deflagrou a Operação “Fogo Amigo” como objetivo de apreender armas de fogos adquiridas fraudulentamente mediante o uso de documentos falsos. O grupo investigado é composto por 11 suspeitos, todos militares temporários do 2° Batalhão de Engenharia e Construção (2° BEC) nessa capital.
A fraude consistia na instrução de processos de autorização para compra de arma de fogo, mediante o uso de documentos falsos como civis e a omissão de condição militar, cuja autorização para aquisição somente poderia ser expedida pela respectiva corporação militar.
O comando do 2° Batalhão de Engenharia e Construção prestou todas as informações necessárias e colabora com as investigações.
Ao todo foram cumpridos 11 (onze) mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados, que deverão responder pelo crime de uso de documentos falsos previsto no artigo 304 do Código Penal Brasileiro.
O comando do 2° BEC divulgou uma nota de esclarecimento sobre a ação policial, informando que a Operação “Fogo Amigo” é resultado da colaboração do Exército brasileiro com a Polícia Federal no Piauí, e ainda enfatizou que a conduta dos militares investigados é individual e pontual.
Confira a nota do 2° BEC na íntegra
Informamos que o comando do 2º BATALHÃO DE ENGENHARIA DE CONSTRUÇÃO vem colaborando com a Delegacia de Armas da Polícia Federal do Piauí, após tomar conhecimento sobre a possibilidade de militares desta Unidade terem adquirido armas de fogo de maneira que contraria a legislação vigente.
Na manhã do dia 27 de fevereiro de 2018, a Superintendência Regional da Polícia Federal do Piauí deflagrou a operação “FOGO AMIGO”, que em resumo é o desdobramento dessa colaboração entre o EXÉRCITO BRASILEIRO e aquela agência.
Enfatizamos que a conduta dos militares é individual e pontual, sendo que a Força Terrestre não  compactua com procedimentos delituosos de quem quer que seja.
GP1/montedo.com

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*