Trump reconhece Jerusalém como o capital de Israel e ordena a embaixada dos EUA a se mudar

WASHINGTON – O presidente Trump na quarta-feira reconheceu formalmente a cidade de Jerusalém como a capital de Israel, reverteu quase sete décadas de política externa americana e desencadeou um plano para mover a embaixada dos Estados Unidos de Tel Aviv para a cidade sagrada ferozmente disputada.

“Hoje, finalmente reconhecemos o óbvio: que Jerusalém é a capital de Israel”, disse o Sr. Trump na Sala de Recepção Diplomática da Casa Branca. “Isso não é nada mais do que um reconhecimento da realidade. É também a coisa certa a fazer. É algo que tem que ser feito”.

O presidente lançou sua decisão como uma ruptura com décadas de política fracassada sobre Jerusalém, que os Estados Unidos, juntamente com praticamente todas as outras nações do mundo, declinaram reconhecer como a capital desde a fundação de Israel em 1948. Essa política, disse ele, nos trouxe “não mais perto de um acordo de paz duradouro entre Israel e os palestinos”.

“Seria loucura assumir que repetir exatamente a mesma fórmula agora produziria um resultado diferente ou melhor”, declarou o Sr. Trump.

Reconhecer Jerusalém, acrescentou, foi “um longo passo para avançar no processo de paz”.

As observações do Sr. Trump foram as mais rigorosamente avaliadas de sua presidência no Oriente Médio, onde ele prometeu negociar o “acordo final” entre israelenses e palestinos, mas ainda não encontrou um avanço para acabar com o conflito. Ele disse que continua empenhado em negociar um acordo “que será um grande negócio para os israelenses e um grande negócio para os palestinos”.

FONTE: The New York Times / Forças Terretres

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*