Prefeitura derruba ‘condomínio do tráfico’ na Vila Joaniza, na Ilha do Governador

Casas estavam sendo construídas em terreno da Aeronáutica

RIO – Cerca de 200 homens do Exército, da Guarda Municipal e da Polícia Militar participaram, na manhã desta sexta-feira, de uma operação na Favela da Vila Joaniza, na Ilha do Governador, para derrubar mais de 30 casas que estavam sendo construídas em um terreno da Aeronáutica invadido. Traficantes da comunidade davam apoio a construção dos imóveis.

Em 18 de outubro, técnicos da prefeitura tentaram, sem sucesso, identificar e notificar os responsáveis pelas obras. Acuados por traficantes, que atiraram em direção aos técnicos, eles tiveram que deixar a favela dentro de um caveirão da polícia militar. Somente na quinta-feira, os técnicos conseguiram voltar ao local, aproveitando que a área estava ocupada pelo Exército, que fazia uma operação para prender os acusados de invadir e depredar um posto da PM na comunidade.

Segundo relatório publicado nesta sexta-feira, no Diário Oficial da prefeitura, a área estava “ sendo invadida segundo informações dos moradores com anuência do trafico local e ciência da associação de moradores”. Na operação desta sexta-feira, apenas parte das construções foram demolidas, porque um trator que era empregado na operação apresentou defeito. Uma nova intervenção será marcada para os próximos dias.

A assessoria do secretário municipal de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação, Índio da Costa, informou que várias casas já tinham sido vendidas. O órgão agora vai cadastrar os compradores para traçar o perfil socioeconômico deles. O objetivo é avaliar se no grupo haveria pessoas com perfil para receber aluguel social.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*