Militares das Forças Armadas voltam à Rocinha nesta terça-feira

Equipes das Forças Armadas retornaram à Favela da Rocinha, na Zona Sul do Rio, nesta terça-feira. Desde o início da manhã é possível ver a movimentação dos militares no entorno da comunidade. A ação é em apoio a uma operação da Secretaria de Segurança (Seseg).

De acordo com o Comando Militar do Leste (CML), não se trata de mais ocupação da comunidade, como a que aconteceu no fim de setembro. E, sim, uma operação pontual. Ainda não há detalhes, no entanto, da ação da Seseg na comunidade. Durante a madrugada desta terça-feira, não houve registro de confronto na Rocinha.

Apesar da movimentação dos militares, a circulação de pessoas acontecia de forma usual na Rocinha, por volta das 6h40: crianças iam para a escola e moradores aguardavam nos pontos de ônibus em frente à comunidade. O comércio da região também funciona normalmente.

A movimentação na Estrada da Gávea
A movimentação na Estrada da Gávea Foto: Rafael Nascimento / Agência O Globo
Nesta segunda-feira, a Polícia Militar prendeu o segurança do traficante Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Adaílton da Conceição Soares, o Mão, de 32 anos foi encontrado em uma casa no bairro Rodilândia. O suspeito foi capturado por policiais do Setor de Inteligência da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) e da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho.

Também nesta segunda, a Rocinha viveu um dia tenso, com tiroteios ocorrendo em alguns momentos. Dois homens foram encontrados mortos por PMs na parte alta da favela. Os corpos foram localizados próximo à Rua Um.

Informações preliminares dão conta de que uma das vítimas, Evandro Agapito Rodrigues de Souza, de 29 anos, era conhecida como Gordo e trabalhava como padeiro em um estabelecimento na comunidade. Segundo a polícia, ele não tem antecedentes criminais. Ainda não há detalhes sobre a outra vítima, identificada como Emerson Werllan de Souza Rodrigues, de 22 anos.

A guerra na Rocinha

Rogério 157 é um dos protagonistas da guerra na Rocinha. No dia 17 de setembro, moradores da comunidade testemunharam o confronto entre traficantes. Cerca de 60 bandidos ligados a Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem — que está preso num presídio federal em Porto Velho — invadiram a comunidade para expulsar Rogério 157, seu antigo aliado.

As Forças Armadas foram acionadas para a comunidade no dia 22 de setembro e ficaram por lá até o dia 29. Desde então, a PM vem reforçando a atuação na Rocinha.

Fonte: Extra

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*