Temer aponta ‘maneira sacrificada’ de como as Forças Armadas têm atuado

O presidente Michel Temer afirmou nesta quinta-feira (5), em discurso durante uma cerimônia em Belém (PA), que as Forças Armadas têm atuado de “maneira sacrificada”, inclusive com ações no “campo da segurança pública”.

Temer foi ao Pará para assinatura do protocolo de intenções para doação de um terreno da União à Igreja Católica. Conforme a assessoria do Palácio do Planalto, a área será utilizada Basílica de Nossa Senhora de Nazaré.

O presidente visitou Belém durante as celebrações do Círio de Nazaré – festa religiosa que costuma reunir cerca de 2 milhões de fiéis – um dia depois de ter apresentado à Comissão de Constituição e Justiça da Câmara defesa contra a denúncia apresentada pela Procuradoria Geral da República, que o acusa de obstrução de justiça e organização criminosa.

Durante discurso na solenidade de concessão do terreno da União, o presidente aproveitou a presença do ministro da Defesa, Raul Jungmann, para abordar a questão das Forças Armadas.

“Nossas Forças Armadas têm prestado uma colaboração extraordinária, aliás, convenhamos até, de uma maneira sacrificada, introduzindo-se até pelo campo da segurança pública”, disse Temer.

As dificuldades orçamentárias do governo e consequente contingenciamento de verbas previstas para as Forças Armadas geraram críticas de integrantes da caserna nos últimos meses. Em agosto, o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, afirmou em sua conta no Twitter que faz o “dever de casa” diante dos cortes de recursos, mas que “há limites”. “Conduzo seguidas reuniões sobre a gestão dos cortes orçamentários impostos ao Exército. Fazemos nosso dever de casa, mas há limites”, disse o general na ocasião.

Segundo Temer, a população tem demonstrado apoio ao emprego dos militares nestas situações. “Em tantos e tantos episódios, assistimos o aplauso extraordinário com que, ao determinamos que as Forças Armadas fossem para certos estados, eram recebidas com salvas de palmas”, completou.

Em razão da crise na segurança pública, o governo tem autorizado o emprego de militares em ações nos estados, a exemplo do que ocorreu no Espírito Santo e ocorre no Rio de Janeiro. Em setembro, após confronto entre fações e tiroteios entre criminosos e policiais, as Forças Armadas ficaram por uma semana na comunidade da Rocinha.

Reclamações sobre orçamento

Até mesmo o ministro da Defesa já chegou a fazer críticas indiretas aos cortes orçamentários. No mês passado, durante uma visita ao Recife, Jungmann afirmou que a situação estava no “limite” na área da Defesa em razão do contigenciamento.

“Até aqui, nós não tivemos comprometimento operacional das Forças, mas nós estamos no limite. Ou seja, o nosso limite é exatamente o mês de setembro”, disse

Após a aprovação da mudança da meta fiscal pelo Congresso Nacional, que prevê um déficit nas contas públicas de até R$ 159 bilhões em 2017, o governo avalizou novos gastos em diversas áreas.

Na última terça-feira (3), o Ministério da Defesa ficou com a maior fatiados R$ 9,8 bilhões liberados pelo governo. Conforme o Ministério do Planejamento, a Defesa pode fazer até R$ 2,11 bilhões em novos gastos.

O presidente Michel Temer durante visita ao centro de lançamento de Alcântara (Foto: Marcos Corrêa / PR)

O presidente Michel Temer durante visita ao centro de lançamento de Alcântara (Foto: Marcos Corrêa / PR)

Maranhão

No período da tarde, Temer visitou a base de lançamento de foguetes de Alcântara, no Maranhão, acompanhado dos ministros da Defesa, Raul Jungmann; das Relações Exteriores, Aloysio Nunes; do Planejamento, Dyogo Oliveira; da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy; do Meio Ambiente, Sarney Filho; do Gabinete de Segurança Institucional, general Sergio Etchegoyen; da advogada-geral da União, Grace Mendonça; e do comandante da Aeronáutica, Nivaldo Rossato.

A comitiva assistiu a uma exposição de militares da Aeronáutica sobre o lançamento de foguetes pela base. Durante a visita, Temer passou pela torre da qual são lançados os foguetes brasileiros. Conforme a assessoria do Planalto, para 2019 está previsto o envio ao espaço de um veículo lançador de microssatélites.

Fonte: G1

1 Comentário em Temer aponta ‘maneira sacrificada’ de como as Forças Armadas têm atuado

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*