Subtenente da Marinha sofre ameaças de grupo criminoso

Um subtenente da Marinha se viu obrigado a sair com a família do local onde moravam após receber série de ameaças de uma organização criminosa. O militar residia no terreno do recém-inaugurado farol do Mucuripe, no Vicente Pinzon. As intimidações começaram quando o subtenente pediu que líderes comunitários intercedessem junto aos traficantes para que parassem de pichar o nome de uma facção criminosa no muro do novo farol, ao lado da inscrição ‘Marinha do Brasil’.

O POVO apurou que o grupo criminoso teria ido à casa dele, ameaçando que se fosse pintada a pichação, ele e a família seriam mortos. O militar foi embora com a família, e outra pessoa da Marinha ficou no local.

Em nota, a Capitania dos Portos do Ceará informou que solicitou o apoio da polícia para verificação da ocorrência e, na última sexta-feira, apagou as pichações e reforçou a segurança do terreno do Farol.

A Polícia Militar permanece no local com uma base móvel fazendo a vigilância. Um vigilante também foi acionado e portava um cassetete.

O POVO constatou que as pichações foram apagadas. A base da Polícia Militar que tem feito a vigilância pertence à própria área do Vicente Pinzon, faz trabalho itinerante e permanece alguns dias em cada local. Os policiais não souberam informar por quanto tempo ficariam no local.

O Povo

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*